Alegrem-se os céus e a Terra

Presépio tradicional armado pelos alunos de Antropologia do 12º C

 Os alunos de Antropologia, alguns dos quais são membros do Clube, «armaram» um presépio tradicional na escola. Trouxeram os materiais – cortiça, musgo, terra, searinhas, arbustos da época e figurinhas de barro. Finalmente foi colocada uma lamparina de azeite para iluminar o Menino.

Desejando a todos um Feliz Natal, deixamo-vos aqui uma fotografia do nosso presépio e um cântico tradicional.

Os cantos natalícios eram muito populares na serra algarvia.

Um dos mais conhecidos, recolhido pelo Padre José da Cunha Duarte em 1984 na Serra de Monchique e no interior do Sotavento, é assim:

Alegrem-se os céus e a Terra

Coro

Alegrem-se os céus e a terra,

Cantemos com alegria;

Que nasceu o Deus Menino,

Filho  da Virgem Maria.

1

Ó meu Menino Jesus,

Ó meu Menino tão belo;

Onde havias de nascer,

Na noite do caramelo.

2

Ó meu Menino Jesus,

A vossa capela cheira;

Cheira a cravo, cheira a rosa,

À felor de laranjeira.

3

Sua mãe  estava a pedir;

Sua mãe estava a dizer:

Não tenho cama, nem berço,

Nos braços te criarei.

4

Entrai, pastores, entrai,

Por esse portal sagrado;

Vinde adorar o Menino,

Numas palhinhas deitado.

5

Entrai, pastores, entrai,

Por esse portal adentro;

Vinde adorar o Menino,

O divino sacramento.

Padre José da Cunha Duarte. Natal no Algarve: raízes medievais. Lisboa: Edições Colibri, 2002, p. 131